Unindo forças

dois performers trazem o público
ao coração do processo criativo

Descobrir

Duo flexível

performers de diferente áreas
juntam-se ao violino
para apresentar programas únicos
a um público participante

Descobrir

Duplexity reinventa o modelo de concerto clássico

Tradição & Inovação

Concertos temáticos, interligando obras clássicas e contemporâneas, estilos improvisatórios e novas obras especialmente encomendadas a compositores do mundo todo.

 

 

Publico Participante

Nós interagimos com o publico de forma espontânea e informal. Com perguntas, jogos e idéas musicais, nós aproximamos cada um ao que acontece no palco.

Locais para Apresentação

Duplexity se apresenta não só em teatros e salas de concerto, mas também em lugares para shows de música popular, clubs, points da hora.

Gêneros Artísticos Misturados & Multimídia

Uso criativo de tecnologia (vídeo, efeitos electrónicos) e colaborações com pintores, bailarinos, atores e poetas.

Notícia

Bar Talk

BAR TALK
44 Duos for 2 Violins by Bela Bartok
Duplexity’s Bartók Duo Cycle
with Daniel Rowland, violin

ler mais

MIDNIGHT CHAMBER

CHAMBRE MINUIT – CREATIVE TEAM
An original project by Yael Rasooly
Co-directed by Angelique Friant
Interpretation: Yael Rasooly and Elissa Cassini
Music: Elissa Cassini, violin and Damien Cesbron, sound creator
PRODUCTION:
Production Blah Blah Production
Co-production: ELEVEN Festival – Biennial of puppetry in Pays de la Loire.
With the support of Parallel Garden , Reims and the Comédie de Reims CDN .

ler mais

Armando Lôbo, Compositor @Duplexity, Inverno 2015 !

Estou muito feliz em anunciar “Dupl-Exsta-C”- Chaconne Circles, uma colaboração com Armando Lôbo , para o inverno 2015. Armando Lôbo Compositor, poeta e professor pernambucano, destaca-se em início de carreira à frente do grupo Santa Boêmia, que ajudou a deflagrar o processo de revalorização cultural do Recife Antigo. Em fins da década de 90, passa a atuar em carreira solo, transferindo-se para o Rio de Janeiro e apresentando-se no Brasil e na Europa. Lança seu primeiro disco Alegria dos Homens em 2003. Em 2005, obtém o título de Mestre em Composição pela Escola de Música da UFRJ; o tema de sua pesquisa foi a estética carnavalesca no balé Petrushka, de Stravinsky. Em 2008, lança pelo selo Delira Música seu segundo álbum solo, Vulgar & Sublime. Em 2009, concebe e realiza o espetáculo multimídia História do Tempo, baseado em textos de Mircea Eliade e Octavio Paz. Seu Estudo Alquímico – para orquestra sinfônica é escolhido para o encerramento da XVIII Bienal de Música Contemporânea. Em 2010, a convite da Brussels Jazz Orchestra, participa de recriação da ópera Porgy and Bess, de George Gershwin. Em agosto do mesmo ano, ganha o Prêmio da Música Brasileira com a orquestra Frevo Diabo. Em 2011, lança no Rio de Janeiro seu terceiro álbum solo, Técnicas Modernas do Êxtase. Em 2012, vence concurso de apoio à criação de música erudita do estado do Rio de Janeiro, com o projeto O Inferno dos Músicos, que propõe uma leitura musical da pintura de Hieronymus Bosch. É também um dos vencedores do Prêmio Funarte de Composição Clássica 2012, com o septeto Pernambukalos. Prepara para 2013 o lançamento do... ler mais

 

A violinista franco-americana Elissa Cassini tem cativado o público, em pelo menos três continentes, com sua sonoridade eloqüente, carisma, presença de palco e programas ecléticos. Sua estreia no Carnegie Hall foi elogiada por exibir “a gama completa de seu virtuosismo numa performance deslumbrante e emocionalmente intensa que arrebatou o público da casa.” (do “New York Concert Review”). Tocou recentemente os concertos de Beethoven, Mendelssohn e Schumann, e foi aclamada como “uma solista impecável e poderosa” (C. Schlüren – Neue Muzik Zeitung) por sua performance do concerto de Anders Eliasson com a “Arcos Orchestra” no Konzerthaus em Berlim.

Amante da inovação, Elissa gosta de explorar vários estilos contemporâneos, tendo inspirado inúmeros compositores a escrever para ela. Dentre eles estão Alves Vieira, Bacri, Combier, Herraiz, Lunsqui. Também tem tocado obras de Kampela, Leroux, Murail e Saariaho, entre outros. Ao completar seu mestrado na Juilliard School, teve a oportunidade de tocar “Anthèmes 1” para Pierre Boulez, que posteriormente a convidou para atuar como spalla na “Lucerne Festival Academy” sob sua regência.

Íntima do repertório tradicional e contemporâneo, passando do barroco ao “live eletronics”, Elissa Cassini faz uma ponte entre o antigo e o novo no estimulante e comunicativo projeto Duplexity. Dentro de seu espírito de paixão e dinamismo, Duplexity estende os formatos e limites da música de concerto, permitindo que os artistas realizem plenamente o seu potencial criativo no palco.

Para mais informaçoes, clique aqui:

 

www.elissacassini.com

 

Para reservar um evento Duplexity, entre em contato:

elissa@duplexityproject.com